A maior empresa de e-commerce do mundo segue nos preparativos do início de suas atividades no Brasil. Segundo informa a Veja.com (em matéria publicada pelo site de tecnologia do EXAME), a Amazon.com já conta com um escritório no Brasil, mais precisamente em São Paulo, dentro do complexo empresarial Rochaverá, que fica ao lado do Shopping Morumbi, na zona sul da capital paulista.

O CEO da divisão brasileira da Amazon também está definido. Será Alexandre Szapiro, que deixou a Apple Brasil em agosto. De acordo com a matéria, a ideia da empresa é iniciar a venda de e-books no Brasil no mês de novembro. Alexandre ocupa a vaga que antes era ocupada por Mauro Widman, que abandonou o comando da empresa para se dedicar aos negócios relacionados ao Kindle, o que é um indício claro que a empresa já planeja a comercialização de, pelo menos, os seus leitores de livros eletrônicos no território nacional.

Aliás, a Amazon Brasil não vai se limitar ao comércio de livros eletrônicos e seus respectivos leitores de livros eletrônicos. Segundo o registro na Junta Comercial de São Paulo, a empresa também vai realizar “vendas e varejo geral, no país e/ou estrangeiro, de quaisquer produtos, incluindo, entre outros, produtos eletrônicos portáteis físicos ou digitais, que processem dados e tablets, inclusive aqueles que permitam a leitura de livros eletrônicos.

Traduzindo as aspas: a Amazon Brasil vai vender de tudo, incluindo os seus tablets da linha Kindle Fire. Ainda não está claro quando os produtos eletrônicos começarão a ser comercializados, muito menos se os produtos da empresa serão fabricados no Brasil. Fato é que temos aqui a certeza que, uma vez a Amazon Brasil iniciando as suas operações, nós temos as portas abertas para os dispositivos eletrônicos da empresa, e de outras marcas mundialmente conhecidas no mercado de eletrônicos.

Antes, a Amazon apenas atuava no mercado de computação em nuvem para empresas. Agora, ela começa a alcançar o consumidor final. Estamos esperando por isso desde o final do ano passado, pelo menos. Parece que agora a coisa vai!

Concorrentes, tremei!

Via