smartphones-em-uso

A Anatel anunciou hoje (8) novas medidas para facilitar a vida do consumidor na hora de bloquear os seus celulares e smartphones roubados. A partir de agora, é possível bloquear o dispositivo apenas fornecendo o número da linha.

As polícias civis da Bahia, Ceará e Espírito Santo já contam com o Cadastro Nacional de Estações Móveis Impedidas (CEMI), o que permite o bloqueio de celulares perdidos, extraviados ou roubados com um mecanismo simplificado. Em breve, os estados de Goiás, Mato Grosso, Rio de Janeiro e São Paulo poderão utilizar o sistema administrado pela Anatel e pelas operadoras de telefonia móvel.

Antes, o usuário era obrigado a guardar o IMEI do celular para realizar o bloqueio em caso de roubo ou furto. O IMEI é uma longa sequência numérica, difícil de ser decorada, ou que necessita ser anotada em um outro local. Com o novo sistema, o aparelho pode ser bloqueado de duas formas: ligando para a operadora e simplesmente informando o número de linha, ou diretamente na delegacia de polícia, ao registrar o boletim de ocorrência. Mais de 6.5 milhões de celulares extraviados, roubados ou furtados contam com registro no CEMI, o que impede a sua utilização por qualquer via.

A medida visa desestimular o roubo de smartphones, já que o dispositivo bloqueado perde valor de mercado. Vale lembrar que a base de dados da CEMI é administrada pela GSMA, ou seja, esse é um cadastro que vale para o mundo todo.

A Anatel também quer inibir o roubo de celulares que não foram comercializados, e lojistas e transportadoras poderão bloquear os dispositivos subtraídos em crimes de roubo de carga. Nesse caso, as empresas devem fornecer os IMEIs desses celulares, já que os mesmos não foram ativados.

A Anatel orienta que, antes do consumidor adquirir um celular de segunda mão, que o mesmo verifique se o IMEI do aparelho não está bloqueado por furto ou roubo. A pesquisa pode ser feita no consultaaparelhoimpedido.com.br.

Via Tecnoblog