galaxy s4 branco Afinal de contas... o Galaxy S4 é o mais do mesmo?

O evento que concentrou a atenção de todos na semana passada foi, sem sombra de dúvidas, o lançamento do Galaxy S4, o esperado sucessor do exitoso Galaxy S III, que por sua vez, deu continuidade a uma linha de sucesso de smartphones. Os coreanos não queriam uma apresentação convencional, e o smartphone foi sabiamente apresentado aos poucos, em um ambiente no estilo “Broadway”, explicando de forma quase didática para as pessoas que nada entendem de tecnologia o que elas podem fazer com o seu novo produto, e o quão legal seria se elas comprassem.

De uma coisa, não podemos duvidar: a Samsung chamou a Apple para a briga. Não tanto na questão de vendas, mas no quesito “somos mais incríveis que vocês”, apresentando os diferenciais que o seu smartphone possui em relação ao último lançamento da empresa da maçã (o iPhone 5). Aliás, a Apple segue sendo a referência obrigatória para todos os grandes fabricantes de smarthphones, e a grande missão da Samsung é tirar esse título da empresa de Redmond. Mas… será que eles conseguiram isso? Na minha opinião, a resposta é “sim”, mas em partes.

Que a Samsung é a grande pedra no sapato da Apple, todo mundo sabe disso. E literalmente, uma vez que os coreanos está trabalhando em um campus espetacular, que fica a poucos quilômetros da sede da Apple em Cupertino. E não estou falando de um simples edifício ou sede da Samsung nos EUA, mas sim uma edificação que será uma autêntica referência em Silicon Valley. Mas talvez o aviso mais sério que a Samsung está disposta a tomar o espaço da Apple no mercado de smartphones é o fato do evento do lançamento do Galaxy S4 ter acontecido no Radio City Music Hall, sendo retransmitido simplesmente na Times Square, fechando parte do coração de Manhattan.

Por outro lado, os coreanos parecem ter “freado” a sua ânsia de igualar e superar a Apple. Não foram poucos os veículos de imprensa e internautas que falam que o Galaxy S4 nada mais é do que uma versão retocada e atualizada do Galaxy S III, algo muito parecido com aquilo que a própria Apple faz desde 2009 (pelo menos), quando adicionam um “S” ao iPhone. Mas… é simplesmente isso?

sgs4 destaque Afinal de contas... o Galaxy S4 é o mais do mesmo?

Entre aqueles que fizeram comentários jocosos sobre o novo smartphone da Samsung encontramos o CEO da HTC, que disse que o Galaxy S4 é um “mais do mesmo”. Porém… seria essa uma declaração vinda de um CEO morrendo de inveja por não ter um smartphone tão incrível em seu portfólio de produtos? Ou uma realidade patente? Vale a pena registrar que a Samsung, nesse caso, foi vítima de uma “besta” que ela mesma alimentou: afinal de contas, criar um hype em cima de um produto por tantas semanas tem essas consequências. E em nenhum momento estamos aqui falando que o Galaxy S4 é um smartphone simplório ou pobre de recursos, mas que muita gente no mercado dava muito mais por ele, isso é fato.

Talvez todos estavam esperando que acontecesse uma grande revolução, que levasse o mundo dos smartphones para um futuro que muitos querem vivenciar, e que já estão impacientes por nunca alcançar esse futuro. Por outro lado, o Galaxy S4 apresenta já alguns esboços desse futuro, como o controle de menus pelos olhos, a manipulação da interface sem precisar tocar na tela do smartphone e os recursos mais intuitivos para elementos multimídia. E isso incomodou os adversários, que não foram competentes o suficiente para pensar nesses elementos um pouco antes. A prova disso foram as palavras do próprio CEO da HTC e, de forma inesperada, Phil Schiller, da Apple, trollando de forma prévia a apresentação e os smartphones da Samsung. Isso é claro sinal que os coreanos, no mínimo, incomodam.

Mas o mais importante disso tudo é que o comprador de um smartphone quer mesmo saber é se o Galaxy S4 é a referência de momento no mercado mobile. A resposta é “sim e não”. Tecnicamente, por ser o lançamento mais recente, o S4 conta com os mais recentes avanços de tecnologia do setor até o momento. É superior ao Xperia Z ou o HTC One? Muitos podem considerar que sim, mas a partir da perspectiva do usuário médio, também pode se aproximar da teoria do CEO da HTC. Ele pode ser visto como um smartphone que adicionou apenas algumas melhorias em relação ao modelo anterior, frustrando as expectativas criadas pelo próprio fabricante.

galaxy s4 topo Afinal de contas... o Galaxy S4 é o mais do mesmo?

Não resta dúvidas que o Galaxy S4 é o melhor smartphone que temos no mercado, mas não deixa de ser aos olhos de muitos uma versão corrigida e ampliada da sua versão anterior. Afinal, sua câmera é maior, seu processador é mais potente, e muitas melhorias de hardware e software foram adicionadas. É a mesma coisa que a Apple faz quando lança um iPhone, e meses depois, coloca um “S” no nome, melhorando o seu hardware. Talvez o que o Galaxy S4 precisava era de uma reformulação em sua aparência externa e um hardware ainda mais potente (particularmente eu acho esse último item desnecessário, uma vez que o conjunto do novo modelo é forte demais).

Mas… a Samsung ter apostado em não mexer no time que está ganhando é algo negativo? De jeito nenhum.

O Galaxy S4 certamente será um sucesso de vendas, e vai ser um competidor duro de ser batido no mercado. Os concorrentes vão ter que arrancar sangue dos seus engenheiros e projetistas para fazer algo que tenha a capacidade de competir em pé de igualdade com aquilo que é proposto pela Samsung no conjunto geral. Por outro lado, a própria Samsung deixou uma porta aberta para os seus críticos, que acusam o produto de ser uma cópia melhorada do seu predecessor. J.K. Shin terá o desafio de nos surpreender no Galaxy S5, mas não resta dúvidas que não foi um erro o Galaxy S4 nascer com o conceito de ser uma versão melhorada de um smartphone que vende muito até hoje.

A Samsung conseguiu triunfar em dois terrenos, e tanta manter vivo o hype. A prova que conseguiram incomodar foi justamente o fato de Phil Schiller sair disparando cobras e marimbondos contra a Samsung horas antes do evento de Nova York começar. De quebra, o Galaxy S4 está hoje na vanguarda da telefonia móvel, colocando os seus principais rivais na berlinda. Ou seja: Apple, fale menos e faça mais. É melhor vocês se tocarem que o império do iPhone lentamente está ruindo, e a cobrança está mais nas costas de Tim Cook do que nunca.