windows-10-topo

Um grupo de advogados russos apresentou um processo em Moscou, que tem como objetivo principal proibir o uso do Windows 10. Os motivos que sustentam a petição da demanda estão no fato que o novo sistema operacional da Microsoft recompila informações dos usuários, algo que iria contra as leis do país.

De acordo com os advogados, entre as informações coletadas pelo Windows 10 se encontram senhas, localização, mensagens escritas e histórico de navegação, o que na interpretação deles é identificado como um ato de espionagem. O objetivo e a base do processo são claros, mas a Microsoft não deu até agora uma resposta oficial para a situação, apesar de já ter explicado como e para quê recolhe os dados dos usuários.

De acordo com a Microsoft, todas essas funções de captação de dados podem ser desativadas pelos usuários, o que implica que, na prática, não há nenhum tipo de espionagem, já que é o próprio usuário quem decide sobre isso.

Vamos esperar pelos próximos capítulos. Veremos onde tudo isso vai terminar.

Via Softpedia