motorola-lenovo-logo

O “Hello, Moto” virou um “Goodbye, Moto”.

Rick Osterloh, diretor de operações da Lenovo, anunciou na CES 2016 que a marca Motorola será extinta ainda este ano. A marca será “eliminada progressivamente”, e o movimento faz parte da estratégia da Lenovo em utilizar a sua marca corporativa para unificar os produtos.

A morte da marca Motorola também representa o fim de uma era, iniciada por Martin Cooper em 3 de abril de 1973, quando em uma rua de Nova York fez uma chamada telefônica para o seu maior rival no setor, Joel Engel, da Bell Labs, uma divisão da AT&T. Esta é considerada a primeira chamada telefônica da história a partir de um telefone móvel.

A Motorola não só faz parte da história da telefonia móvel, mas foi por muitos anos parte viva da mesma. Foi a empresa que comercializou “o primeiro telefone móvel da história”, o Motorola Dynatac 8000x, cujo protótipo foi utilizado por Cooper para aquela ligação telefônica para Joel Engel. Ao lado da Nokia, foi o fabricante de maior destaque no setor de telefonia móvel na última década do século 20.

A história recente da Motorola é conhecida por todos. Assim como aconteceu com a Nokia, teve graves problemas para se adaptar ao novo mercado, imposto pela Apple desde o lançamento do primeiro iPhone, em 2007. Foi vendida para a Google em 2011 por US$ 12.5 bilhões, e depois a sua divisão de mobilidade (não as patentes e outros ativos) foi repassada para a Lenovo, em janeiro de 2014.

Dois anos depois, a Lenovo prepara o fim da marca Motorola. O logo lendário (o “M” estilizado) será mantido, e a denominação “Moto” agora será utilizada para designar os modelos top de linha de smartphones da Lenovo. As linhas média e de entrada será coberta pela marca Vibe da Lenovo, e ambas serão introduzidas em todos os mercados globais.

Não há um cronograma anunciado sobre quando essas mudanças virão, mas imaginamos que será um processo lento, que vai levar vários meses, e que só será concluído no final de 2016. Com isso, a Lenovo passa efetivamente a ter a sua marca como uma das líderes globais do setor de mobilidade, e sem ter a estigma de ter a citação “com a ajuda da Motorola” em cada análise de mercado.

Vale lembrar que a Lenovo já faz um bom trabalho nesse setor em mercados como a China, mas em outros (como o Brasil), é quase uma desconhecida. Com essa decisão, isso deve mudar um pouco.

ATUALIZADO EM 08/01/2016 @ 11h35: a assessoria de imprensa da Lenovo no Brasil emitiu o comunicado a seguir:

“A Motorola Mobility continua a existir como parte do grupo Lenovo e vai liderar as áreas de engenharia e design em todos os nossos produtos móveis. No entanto, para a nossa estratégia de marketing, vamos adotar duas marcas em smartphones e wearables e seguir, daqui para frente, com Moto e Vibe globalmente.”

Via CNET