Eddie Gault, pesquisador da Divisão Antártica Australiana, deixou sua câmera gravando no chão perto de uma colônia de pinguins, e se distanciou, deixando que as aves fizessem o resto.

E fizeram.

Os animais se aproximaram rapidamente do objeto, golpeando o mesmo, o que fez com que sua lente apontasse para cima. Isso fez com que imagens muito próximas de dois pinguins fossem registradas, quem sabe posando deliberadamente para registrar uma selfie perfeita.

A câmera foi colocada em modo de gravação por Gault, e não pelos pinguins. Desse modo, ele pode se livrar do pesadelo que viveu o responsável pelo famoso selfie do macaco de 2011.

Para quem não se lembra, David Slater, cuja câmera foi usada por um macaco para fazer uma selfie, foi processado pelo PETA, que afirmava que os direitos do macaco foram violados quando Slater publicou sua imagem em um livro (como o macaco disparou a câmera, a foto era dele, e não do fotógrafo).

A disputa foi resolvida no ano passado, quando Slater concordou em doar 25% das receitas futuras da selfie do macaco para organizações que trabalham para proteger o habitat da espécie.