Realidad-Virtual

Os videogames já demonstraram ser um grande aliado na resolução de determinados transtornos e enfermidades, com um papel muito importante no suporte aos processos de quimioterapia. Existem até organizações dedicadas a isso. A realidade virtual é o próximo grande salto dentro do mundo dos games, e tem um enorme potencial para ser utilizada no tratamento da depressão.

O estudo apresentado pela University College London (UCL) e pela Catalan Institution for Research and Advanced Studies (ICREA) é um tanto limitado, de modo que seus resultados devem ser vistos com cautela. Porém, foram muito positivos, deixando o caminho aberto para análises mais profundas, com um maior número de participantes.

Centrando no estudo atual, contou com a participação de 15 pacientes com depressão com idades ente 23 e 61 anos. Ao aplicar uma experiência específica de realidade virtual por oito minutos, 60% dos participantes tiveram reações positivas.

Dentro da experiência, eles indicavam um avatar com o qual eles se identificavam, que interagia com uma criança chorando. A missão deles é acalmar a criança. Uma vez alcançado esse objetivo, a visão subjetiva do usuário muda para a criança, de forma que agora são eles que se identificam com o mesmo, recebendo palavras e gestos reconfortantes de um adulto.

Esta é apenas uma primeira e importante pedra, que pode servir para iniciar o pavimento de um caminho até o uso da realidade virtual como tratamento da depressão.

Via Engadget