Hoje (20) pela manhã, eu tive a oportunidade de testar o iOS 6 de um iPhone 4S de um corajoso amigo que decidiu atualizar o sistema operacional do seu smartphone. Eu não tive coragem de fazer isso no meu iPhone 4, porque não quis dar uma de “early adopter”, ainda mais nesse caso em especial. Já passei por isso com o iO5 5, com o meu antigo iPhone 3GS, e os resultados não foram lá muito agradáveis. E depois de 24 horas do update ser liberado aos usuários da Apple, eu vejo que tomei a melhor decisão no momento.

O iOS 6 até que está bem ajustado e rodando de forma consistente para o meu gosto e exigência. A integração com o Facebook realmente está maior, o Siri continua sendo burro e não compreendendo o português (mas, enfim, já me acostumei com isso)… mas como o meu real objetivo era encontrar os motivos pelos quais eu NÃO deveria atualizar os meus dispositivos (iPhone 4 e iPad 2) com a nova versão, vamos lá buscar os tais problemas. E eu encontrei pelo menos dois.

O primeiro deles foi amplamente divulgado na internet no dia de ontem (19). Isso é, para quem utilizou as redes 3G dos seus smartphones. A falha da conectividade Wi-Fi aparentemente foi resolvida e explicada: alguém lá na Apple deletou a página de verificação e testes do ping das redes sem fio, que é o que realmente habilita o recurso no smartphone. A Apple restaurou a página, e a maioria dos dispositivos voltaram a ter a sua conectividade sem fio normalmente. Apesar disso, alguns usuários ainda alegam que o seu Wi-Fi ainda não funciona, mas são casos isolados.

Mas o segundo grande problema, e que é um dos motivos mais fortes para me deixar bem longe do iOS 6 por enquanto, é o Mapas da Apple, que está no lugar do Google Maps. E, por tudo o que eu vi nos testes feitos hoje, eu posso dizer que a Apple fez o seu pior trabalho com esse recurso. Não me entendam mal, não é uma crítica gratuita. O software é horroroso e ponto, e vem sendo desde os seus testes.

As críticas vem de todos que testaram as versões beta do iOS 6. Ao longo de todos os meses que o sistema passou nas mãos dos beta testers, o Mapas da Apple foi internamente criticado, mas sempre ficou a esperança que, quando a versão final chegasse ao grande público, o recurso seria algo melhor, com mais cuidado em pontos considerados chave para substituir com eficiência o Google Maps. E isso, a Apple, de forma orgulhosa, bateu no peito e prometeu que iria fazer, na apresentação do iOS 6 durante a WWDC 2012.

Mas… quem disse que foi isso o que aconteceu?

A diferença entre a Apple e o Google nesse quesito é simplesmente abissal. É a mesma coisa que o meu sobrinho de 7 anos de idade tentasse dirigir um fórmula um contra o Fernando Alonso, nesse momento. O Google gastou muitos anos e muito dinheiro desenvolvendo a sua solução, e criando essa experiência de mapeamento que, entre as gratuitas, hoje é a melhor. Se cobra caro pelas licenças de APIs, é direito dela, pois nenhum sistema de mapas gratuito é tão eficiente quanto o do Google.

Além disso, todo o cuidado que a empresa de Mountain View tem ATE HOJE para tornar o seu recurso eficiente e prático para as plataformas móveis. O novo Google Maps do Android simplesmente HUMILHA o Mapas da Apple, e até o Google Maps para BlackBerry funciona de forma mais eficiente hoje do que aquilo que foi colocado no iOS 6.

Vamos aos fatos. O Mapas da Apple se esqueceu completamente das funcionalidades consideradas básicas. O desempenho do aplicativo é frustrante, e os erros verificados na busca são simplesmente absurdos para o padrão de uma empresa que responde pelo nome Apple.

Exemplo: fiz uma busca simples, de um estabelecimento na minha cidade que estava a 100 metros de distância, e o Mapas da Apple me retornou um resultado em uma cidade que nem no meu estado era. Tá, eu sei que tem uma Araçatuba em Santa Catarina (na verdade, Ilha de Araçatuba), mas eu só queria comer um lanche em um local que estava a 100 metros de mim! Como assim?

Nos testes de posicionamento, o Mapas da Apple me retornou um resultado com uma margem de erro de 1 km. Ok, antes de você me chamar de chato, o Google Maps me dá uma margem de erro de apenas 20 metros. Satisfeito?

Tá, eu deixo de lado a ausência de tráfego em tempo real, e ignoro o fato que o Mapas da Apple nunca vai me levar para o lugar certo. O que torna o aplicativo abaixo do nível de porcaria é o simples fato que ele não é sequer capaz de ser inteligente. Quer mais um exemplo? Determine a sua posição no mapa. Agora, faça a busca por uma loja ou estabelecimento comercial qualquer. O Mapas “made in Tim Cook” não é capaz de exibir os resultados relacionados ao local que você está, e sai buscando qualquer coisa que vem pela frente, em cidades e estados vizinhos. Mas não referente à região que você se encontra.

Muitos Apple Fanboys/Macfags vão criticar esse post, e já contam com o discurso ponto do “eu não usava o Google Maps mesmo” ou “grande coisa, o iOS 6 é incrível”. Tá, já me acostumei a ouvir discurso vazio de quem adora usar qualquer desculpa para esconder as besteiras que a Apple faz. Mas, fato é que: depois de tantos meses de testes, e por se tratar de uma empresa que é vista como “visionária, mágica, inovadora e revolucionária”, é simplesmente inadmissível que eles entreguem aos seus usuários um produto de tão baixa qualidade.

E outra coisa: não adianta colocarem a culpa na TomTom, que é responsável pelo sistema de cartografia do Mapas da Apple. Particularmente, não gosto muito do sistema de mapas deles, é fato que na versão paga, a TomTom se sai muito melhor do que isso que a Apple apresentou. Além disso, a empresa de Cupertino teve vários meses para melhorar os recursos do aplicativo (e, afinal de contas, é aplicativo da Apple, logo, a responsabilidade é dela), e a impressão que me dá com o produto final é que ela não fez porque não quis. Entregou um produto final “nas coxas”, apenas para dizer ao Google “não precisamos de você”.

Quem perde nessa história são os usuários. Todo mundo sabe que o Google Maps funcionava muito bem no iOS, e se dependesse da maioria deles, não mudariam em time que está ganhando. A opção que sobra é ficar com o iOS 5, até que o Google resolva lançar o seu aplicativo independente de Mapas para o sistema. Todos sabem que a briga da Apple com o Google fica cada vez mais acirrada, principalmente quando Tim Cook vê que, todos os dias, são ativados 1.3 milhão de dispositivos Android. E isso incomoda, e muito.

Agora, cara Apple… se é pra inovar desse jeito, é melhor ficar na mesmice. Ego machucado ou objetivo de dominação do mercado mobile não podem ser desculpas para punir os usuários dessa forma.