lenovo-smartphones-teaser

A Lenovo pagou por 20% da Motorola a quantia de US$ 2.910 bilhões para a Google (proprietária da Motorola desde 2011). Porém, essa quantia segue custando caro. O recente resultado financeiro relativo ao segundo trimestre do ano fiscal 2015-2016 mostra prejuízos pela primeira vez em seis anos.

A Lenovo registrou prejuízos líquidos de US$ 714 milhões, por conta da aquisição da Motorola. Afinal de contas, adquirir uma empresa tem um custo além do valor informado, já que exigem mudanças e reestruturações, que nesse caso não saíram baratas (US$ 600 milhões), ainda mais quando são em nível global.

As vendas também não foram muito bem. Levando em conta que a Lenovo é hoje uma fabricante de computadores, periféricos, tablets e smartphones, para estre trimestre eles herdaram um inventário com valor estimado de US$ 324 milhões. E é nessa última quantia que a Motorola leva parte da culpa.

De acordo com o relatório apresentado pela Lenovo, as vendas da divisão móvel (MBG: Mobile Business Group) registraram um aumento de 104% (US$ 2.7 bilhões) em relação ao mesmo período de 2014, dos quias os produtos Motorola aportaram US$ 1.4 bilhão. Porém, as perdas dessa divisão foram de US$ 217 milhões.

A Lenovo informa que os números ainda não refletem as vendas dos novos produtos, como o DROID Turbo 2 ou o Vibe P1, e que a reestruturação na MBG fará com que os próximos números sejam melhores. De fato, as vendas de smartphones aumentaram em muitos países, como a China (70% em um ano), Indonésia, Índia, Brasil e Rússia.

Porém, no total eles obtiveram ingressos de US$ 12.2 bilhões, um número maior do que o obtido no ano passado no mesmo período, mas parte dessa quantia aconteceu por conta das 3.200 demissões que a Lenovo teve que executar. A empresa anuncia planos de investimento em novas áreas, além de se manterem fortes diante da concorrência.

Veremos como seus novos produtos podem mudar a tendência atual, rendendo melhores resultados no próximo trimestre.

Via Lenovo