Um estudo realizado pela Universidade de Toledo mostra que os longos períodos de exposição à luz azul resulta na produção de moléculas venenosas nas células foto receptoras dos nossos olhos.

Tais danos podem levar à degeneração macular, algo que não tem cura, e que resulta em uma visão enevoada, falta de visão no centro do campo visual e até pontos cegos. A degeneração macular relacionada com a idade (DMRI) é a principal causa de cegueira nos EUA, afetando 11 milhões de pessoas.

O problema pode aumentar consideravelmente com o uso de dispositivos eletrônicos emissores de luz azul no escuro. Há vários relatos de pessoas que ficaram cegas temporariamente depois de um uso excessivo de smartphones no escuro.

Os investigadores focaram-se em uma forma de vitamina A, que as células foto receptoras usam para converter luz para sinais enviados para o nosso cérebro. E quando essas células são afetadas, elas podem morrer. Simples assim.

Em paralelo, os pesquisadores descobriram que a molécula ‘alpha-tocopherol’ consegue fazer com que tais células não morram. Porém, o antioxidante natural não consegue proteger os usuários mais velhos e mais susceptíveis à degeneração macular.

Ou seja, além do óculos de sol, devemos usar filtros de luz azul em monitores e smartphones. E não utilizar os dispositivos eletrônicos no escuro.

 

Via Techspot