Carly Fiorina-iPod

Na CES de 2004, Carly Fiorina, então CEO da HP/Compaq, carregava consigo um iPod com o logo da HP na parte de trás do dispositivo. A empresa se transformava em distribuidora do reprodutor portátil, depois de um acordo que Steve Jobs idealizou com um único objetivo: deixar o seu concorrente muito para trás no mercado.

Hoje, Fiorina é candidata nas eleições primárias dos EUA, e acredita que sua amizade com o finado Steve Jobs pode ajudar nesse objetivo. Mas hoje, contaremos como aquela manobra de Jobs foi uma estratégia de mestre, que fez com que a HP não pudesse reagir no mercado de players portáteis. Mais: quando tentou, já era tarde demais.

Steven Levy, do Backchannel, comenta que o acordo permitia que a HP inserisse o seu logo nos iPods… sob duas condições: 1) a HP tinha que pré-instalar o iTunes em todos os seus PCs; 2) a HP não poderia desenvolver ou comercializar um player musical que competisse com o iPod até agosto de 2006.

Na CES 2004, a HP anunciou a sua versão do iPod. E isso foi patético na época, ainda mais com o slogan “invent”. Mas calma, pois piora: o maior anúncio da HP no evento foi que eles iriam vender o invento dos outros.

Nem preciso dizer que aquele iPod da HP foi um fracasso, por um motivo muito simples: pouco depois daquele evento, a Apple começou a expandir as suas lojas físicas, de modo que quando a HP começou a vender esses players, Jobs apresentou no mesmo ano novos modelos de iPods (iPod Classic Photo em outubro de 2004, iPod Shuffle em janeiro de 2005), deixando os modelos vendidos pela HP desatualizados.

Fiorina se deu conta do erro, e deixou de vender os iPods em julho de 2005. Mas ali o estrago já estava feito: a Apple garantiu a pré-instalação do iTunes em milhões de computadores da HP, na época a maior vendedora de PCs do mundo, eclipsando parte do sucesso do Windows Media e de seus concorrentes na época, além de deixar os iPods da HP obsoletos quase ao mesmo tempo que eles chegaram ao mercado.

Uma jogada de mestre de Steve Jobs.

Via Backchannel