roupa

 

Passar roupa. Essa é uma prática que não muda, não importa o quanto a tecnologia avança. O que mudou é o que vamos fazer enquanto lutamos de gato e rato com as rugas de nossas roupas.

Antes, assistíamos TV e ouvíamos o rádio enquanto passava aquela camisa amarrotada. Agora, até as gigantes do entretenimento querem esse tempo precioso.

O acompanhamento audiovisual segue como o mais comum, mas o novo perfil de passador de roupa tem um campeão de audiência claro.

 

 

Séries e filmes, uma opção “de risco”

 

 

O streaming destronou o rádio e a TV durante o ritual de passar roupas.

O conteúdo multimídia oferecido por serviços como Netflix e YouTube são os mais utilizados. em alguns casos, temos as “séries para passar roupa”, onde o conteúdo só existe como companhia para tal atividade.

Aqui, o fator chave é como dividir nossa atenção, uma vez que a maior parte do nosso foco precisa ir para a roupa a ser passada. Algumas séries mais leves são mais recomendadas nessas horas. Dramas, séries com conteúdo adulto e pornografia podem causar grandes distrações.

A TV digital ainda é uma opção, mas fica em segundo plano, mas ainda está na frente do YouTube. Séries e canais temáticos são muito procurados pelos passadores de roupa.

 

 

Um olho na roupa, outro no streaming

 

 

Diante da avalanche de conteúdos, é lógico imaginar que alguns dos serviços de streaming que usamos todos os dias seja nosso preferido na hora de passar roupa. Mas há um ponto essencial que motiva a escolha por uma experiência audiovisual ou apenas auditiva: evitar distrações (e incidentes indesejados).

Por isso, muita gente recorre para os serviços de música por streaming, como Spotify ou Deezer. Já outros usam o YouTube, mas para a mesma finalidade musical, deixando de lado as imagens.

Os podcasts são utilizados em menor nível, mas também são válidos por não desviar os olhos da tábua de passar. E o rádio tradicional é outra alternativa válida.

 

Os mais tradicionais e os menos tecnológicos

 

Passar roupa é um ato que nos obriga a ficar parados por um bom tempo. Muitas pessoas aproveitam esse momento para realizar chamadas telefônicas.

Isso é mais tradicional que as alternativas de streaming e demais itens vistos nesse post, mas algumas pessoas recorrem ao Facetime ou outras ferramentas de vídeo chamadas.

Mas de um modo geral, as novas opções de consumo de conteúdo acabaram colonizando os minutos que dedicamos para passar roupa.

 

O mundo mudou. E o que você faz enquanto passa suas roupas, também.