A BlackBerry não teve um bom início de vendas do BlackBerry Z10. Poucas pessoas realmente acreditam que esse vai ser o dispositivo “salvação da lavoura” para a fabricante. E o problema só aumenta quando o produto tem dificuldades para se posicionar no mercado. Um exemplo disso está nos Estados Unidos, um dos alvos principais da empresa. A recente pesquisa realizada pela MKM Partners mostra que a grande maioria dos norte-americanos simplesmente ignora a existência do BlackBerry 10 no mundo.

A MKM Partners perguntou para os entrevistados “Você está sabendo que o BlackBerry 10 foi lançado no Canadá e na Europa em janeiro de 2013?”. 82.6% responderam “não”. Para ser justos com a pesquisa, os norte-americanos foram informados sobre o que acontece no Canadá e na Europa, e nós bem sabemos como eles não ligam muito para o que acontece fora dos EUA.

Mas o que mais chama a atenção é que praticamente o mesmo número de pessoas (83%) também não sabiam que a finada Research in Motion tinha lançado um novo smartphone nos Estados Unidos (no caso, o BlackBerry Z10). E olha que o produto foi anunciado durante os comerciais do Super Bowl, que é a maior audiência da TV norte-americana no ano.

Para piorar a situação, o The Wall Street Journal revela que mais de 50% dos compradores do BlackBerry Z10 nos EUA devolveram o produto, o que significa que o volume de rejeição está superando o volume de vendas. A BlackBerry nega a informação, afirmando que a taxa de devolução está sendo a mesma de outros smartphones, mas sem revelar qual é essa taxa em números.

Mas espere: tem como piorar mais.

Outra pesquisa indica que 71.4% dos norte-americanos afirmam que nunca pretendem comprar um BlackBerry, contra 31.3% que jamais vão comprar um Android, e 19.7% que não querem saber de um iPhone.

Com isso tudo, é certo dizer que a BlackBerry tem um grande problema nas mãos. Contam com o BlackBerry 10, que foi feito “a partir do zero”, levou quase 2 anos para ficar pronto, e está falhando na missão em ser relevante para os consumidores. Será que estamos diante do fim da empresa de Waterloo no mercado de telefonia móvel? Só o tempo vai dizer.

Via IntoMobile