Já experimentei bem o Windows Phone, a ponto de conhecer de forma razoável (digo razoável, pois todos os dias aprendemos coisas novas no mundo da tecnologia) toda a parte orientada ao usuário do sistema operacional móvel da Microsoft. A interface Metro (que não vai mais ter esse nome em breve, é sempre bom lembrar…) é uma das mais fluídas que já encontrei em um smartphone, e nesse julgamento, estou incluindo o iOS e o Android, e com o crescimento da variedade de aplicativos, podemos dizer que o Windows Phone é sim uma opção a ser considerada na hora de comprar um smartphone.

Não obstante, em sua primeira grande atualização, o Windows Phone 7.5 ainda está um pouco “verde”. Aliás, muita gente falou que o Windows Phone 7 era apenas um aperitivo, e que o prato principal, onde o Windows Phone estaria mesmo pronto, seria na versão 8. E, de fato, a nova versão é tão diferente, que podemos dizer que é um sistema completamente novo, com uma ampla margem de melhora, que o torna apto a disputar com os seus principais rivais.

A Microsoft revelou detalhes sobre o Windows Phone 8 (Apollo), e as mais destacadas estão nas melhorias implementadas e novas características técnicas, mas alguns detalhes parecem ter ficado na prancheta de desenvolvimento da Microsoft. existem mais coisas que os usuários gostariam de ver nas novas versões do Windows Phone (e aqui eu incluo a versão 7.8). Algumas delas certamente vamos ver nas novas versões, enquanto que outras nunca devem ser implementadas pela empresa de Redmond de forma oficial, mas cada uma dessas melhorias, se não são necessárias, são altamente recomendadas para um futuro não restante.

1) Multitarefa melhorada

Todos os dispositivos com Windows Phone 7.5 são multitarefa, e permitem o uso de vários aplicativos abertos simultaneamente, mesmo com algumas restrições impostas pela Microsoft. Apertando o botão Home, voltamos para a tela de início, e o aplicativo que estava em uso fica em um estado “congelado”, sendo possível reiniciar o seu uso quase que instantaneamente no ponto em que desejamos. Um pressionar mais longo no botão “Voltar” nos permite navegar entre todos os aplicativos abertos, e escolher aquele que precisamos usar, para que o usuário possa se movimentar rapidamente entre um e outro aplicativo.

Porém, o sistema proposto pela Microsoft tem características bem evidentes, o que pode fazer com que a experiência do usuário não seja tão vantajosa quanto se espera, especialmente quando temos uma grande quantidade de aplicativos abertos. O principal problema do Windows Phone Mango é que ele não permite que o usuário encerre, de um modo simples, os aplicativos abertos, obrigando a manter um controle restrito de tudo o que você executa em seu smartphone.

A solução? Tanto o Google quanto a Apple já implementaram no Android e no iOS, respectivamente, um botão dedicado a encerrar os aplicativos a partir da tela de multitarefa, além de um método para “matar” os processos residentes, de modo que ofereça ao usuário um modo mais eficiente de controlar os recursos disponíveis em seu smartphone, oferecendo uma maior liberdade na administração desses recursos.

2) Mais informações na tela de desbloqueio

Se existe uma coisa que muitos usuários do Windows Phone 7 reclamam é das notificações disponíveis na tela de desbloqueio dos smartphones, assim como a informação disponível no aparelho. O primeiro detalhe é que qualquer dono de um smartphone hoje vai tirar o telefone do bolso, e a primeira coisa que vai ver é a tela de desbloqueio do mesmo, com um punhado de informações, como chamadas perdidas, mensagens recebidas e informações relacionadas com as redes sociais.

O Windows Phone 7 é muito tradicional nesse aspecto, nos oferecendo as infos sobre chamadas, mensagens de texto/voz e e-mails recebidos, mas deixa de fora muita informação útil, que melhoraria a experiência do usuário. O Windows Phone 8 deve melhorar essa funcionalidade, permitindo que aplicativos de terceiros, como o WhatsApp ou Twitter possam inserir os eu próprio ícone de notificações na tela, ou adicionando um modo de acesso direto aos aplicativos mais usados através das notificações.

Também seria bom poder personalizar a tela de desbloqueio, adicionando mais detalhes, como previsão do tempo, alarmes  ativos, entre outros detalhes.

3) Contas múltiplas de usuário

Não me atrevo em dizer que é a maioria, mas estou certo que uma grande parte dos usuários do Windwos Phone (ou de qualquer outro sistema operacional móvel) estão conformados em ter uma conta de usuário para tudo. Por outro lado, são muitos aqueles que, por algum motivo, desejam administrar diferentes contas de usuário (ou de e-mails, mensagens de redes sociais, mensagens instantâneas, etc) no dispositivo, e quando assim desejar, integrar todas essas contas no mesmo dispositivo, sem problemas.

Neste sentido, o Google saiu na frente. Já está trabalhando em um suporte para múltiplas contas de usuário no Android Jelly Bean, que permitiria por exemplo acessár várias contas do Google Talk. O Windows Phone não é especialmente amigável nesse sentido, nos obrigando a ficar com uma única conta para tudo, principalmente para o Messenger, um dos serviços de mensagens instantâneas mais usados do mundo.

É muito contraproducente não poder iniciar uma seção do Messenger a partir de diferentes contas em nosso smartphone para realizar a comunicação com diferentes grupos de contatos que, por algum motivo, não correspondem à mesma identidade online. Se, em algum momento você precisa mudar o usuário principal do seu smartphone (e esse é um problema generalizado das demais plataformas), devemos retornar o dispositivo para as configurações de fábrica, eliminando no processo todas as informações armazenadas no smartphone, desde configurações básicas até e-mails, passando pelos aplicativos adquiridos e contas ativas. E esse é um incômodo que poderia ser evitado.

4) Personalização dos toques de notificação

Não poder personalizar os toques de notificação no Windows Phone 7 é um mistério que a Microsoft não explica. Se bem que é possível adicionar novos ringotes em M3 através do Zune (basta adicionar a etiqueta “ringtone” na informação ID), mas os toques de notificação é “terreno proibido” para os usuários, que ficam limitados à lista que a Microsoft (ou o fabricante do dispositivo) decidiram colocar no produto.

Como qualquer personalização, esta é uma questão de gosto, e pode parecer algo secundário para muitos de vocês, ou pode não ser um “problema”, mas é sim uma carência que chamaria a atenção, principalmente diante dos concorrentes diretos.

5) Central de notificações

O Google apresentou ao mundo a barra de notificações deslizável, que se tornou um grande diferencial para os consumidores na hora de escolher um novo smartphone. A Apple observou isso, e apresentou no ano passado a sua própria versão, se inspirando (ou copiando, como queiram) a iniciativa oferecida pelo Android, adicionando os seus próprios detalhes.

Dizem que “a cópia é a forma mais pura de elogiar alguma coisa”, e a Microsoft deveria fazer nota disso. Afinal de contas, se ela quer entrar na guerra dos sistemas operacionais móveis como a terceira força do mercado (desculpe, RIM e Nokia), qualquer boa ideia do seu adversário é chave, e uma Central de Notificações é, sem dúvida, uma característica que pode ser o fiel da balança no final.

6) Selecionar textos em mensagens

Esse pedido é bem simples: Microsoft, quero poder selecionar o texto dentro das mensagens de texto ou no Messenger. Não tenho segundas intensões com isso, nem ideias ocultas. Esse é o pedido mais simples que vocês podem esperar apra um sistema operacional móvel tão completo como o Windows Phone.

Nesse momento, é possível copiar uma mensagem inteira, mantendo o dedo sobre o texto até que o menu contextual apareça, mas não é possível selecionar uma parte específica desse texto. Isso seria útil para selecionar senhas e links da web de forma rápida e simples. Tal funcionalidade básica deveria estar presente.

7) Contador de dados/minutos

O controle de minutos falados e dos MB consumidos em um período de faturação (seja em planos pós como pré-pago) é algo crítico, e agora que a maioria dos planos incluem pacotes fechados, tal controle precisa ser ainda mais rígido. O Windows Phone, em sua próxima versão, deve ter como padrão oferecer um contador de minutos consumidos nas chamadas efetuadas e recebidas, e do tráfego de dados utilizado, para que o usuário possa ter uma ideia do gasto acumulado, evitando assim surpresas desagradáveis. O ideal é ter um recurso nativo no sistema, dispensando a necessidade de buscar um software de terceiros para isso.

8) Troca de arquivos via Bluetooth)

Lá pelo ano de 2002, em modelos jurássicos (mas muito desejados na época) como o Siemens M35, Nokia 3210 ou Ericsson T28i, o Sony Ericsson T68i se destacava pela capacidade de poder receber e enviar fotos e toques musicais por Bluetooth. 10 anos se passaram, e a Microsoft decidiu que esse sistema só é válido para se conectar com periféricos como fones de ouvido, alto-falantes externos, fones Bluetooth ou teclados. Repetindo os erros de outras empresas e nos privando de algo que nos últimos 10 anos consideramos normal.

Muitas coisas ficaram pelo caminho, e alguns itens da lista podem ser considerados prescindíveis, mas o fato é que isso é tudo o que eu gostaria de ver na próxima versão do Windows Phone (Windows Phone 8 Apollo), que deve chegar até o final do mês de novembro ao nosso mundo, com uma nova leva de smartphones da Nokia, Samsung, HTC, entre outros.