Apesar de registrar um crescimento de 2% em relação ao mesmo período do ano passado, o mercado de vendas de PCs no Brasil mostra sinais de desaceleração de vendas durante o primeiro semestre de 2012. Segundo o estudo Brazil Quarterly PC Tracker, realizado pela IDC, foram vendidos nos primeiros seis meses do ano o total de 7.8 milhões de computadores no país.

As previsões realizadas no início de 2012 registravam um crescimento de vendas de 7% para o mesmo período, e o Brasil foi o país que registrou o pior crescimento entre os países membros do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China). Na Rússia, o aumento das vendas de PCs foi de 37%; na Índia, 9%, e na China, 3%. O motivo para um índice tão baixo de aumento das vendas foram as dificuldades econômicas enfrentadas pelo setor de bens de consumo e segmento de informática. Segundo Attila Belavary, analista do IDC Brasil, as empresas estão mais inseguras em fazer novos investimentos por causa da crise internacional, além de uma certa instabilidade na confiança do consumidor brasileiro em adquirir novos produtos de informática.

No primeiro semestre de 2012, 45% das vendas foram de desktops, e 55% foram de notebooks (nesse grupo, o estudo inclui netbooks, ultrabooks, notebooks e ultraportáteis), mostrando que cada vez mais o usuário brasileiro está interessado na portabilidade do notebook, enquanto que as empresas ainda preferem a segurança e performance dos desktops. 27% das vendas do semestre foram destinadas ao segmento corporativo, 67% são vendas para usuários domésticos, e 6% foram para instituições educacionais e órgãos do governo.

O IDC Brasil ainda prevê que as vendas para 2012 devem crescer 8% em relação aos números registrados em 2011, com um total de 17.2 milhões de PCs vendidos. Inicialmente, essa taxa de crescimento foi prevista para 13%, mas foi reduzida, para se ajustar ao cenário apresentado no primeiro semestre. ”Apesar da expectativa otimista para o segundo semestre, que contará com um aumento de notebooks ultrafinos produzidos localmente e o lançamento do Windows 8, o cenário mundial de instabilidade econômica dificulta maiores crescimentos para toda a indústria”, completa Belavary.

Via Assessoria de Imprensa – IDC Brasil