Amiga1000

Ontem (23) se comemorou o trigésimo aniversário do lançamento do Amiga, um computador mítico e muito avançado para o seu tempo, que tem um espaço na história da informática por ser o primeiro computador multitarefa e multimídia para o grande consumo.

 

História

Parte da história por trás do Amiga está ligada à história de outras duas marcas: Commodore e Atari. No começo da década de 1980, o fundador da Commodore, Jack Tramiel, iniciou um novo negócio de computadores. Adquiriu a Atari e com a ajuda de ex-engenheiros da Commodore, desenvolveu uma nova linha de PCs Atari.

Enquanto isso, um grupo de engenheiros da Atari dirigidos por Jay Miner deserdaram e formaram a sua própria empresa, que depois se transformou na Amiga Corporation. Em 1984, ela foi adquirida pela Commodore, com a intensão de desenvolver uma nova linha de equipamentos domésticos e comerciais para substituir os modelos próprios, como o Commodore 64.

 

Lançamento

Amiga1000_3

Em 23 de julho de 1985 foi apresentado o primeiro Commodore Amiga, com um evento no Lincoln Center em Nova York. Uma grande orquestra tocou a noite toda, e todos os funcionários da Commodore apareceram no evento em traje de gala, um smoking branco oferecido pela empresa.

Assim chegou ao mercado o Amiga 1000. Concebido inicialmente por Jay Miner como um console de videogames, ele foi transformado no seu desenvolvimento em um computador pessoal de propósito geral, para se transformar no primeiro PC para os criativos, já que suas capacidades multimídia estavam muito à frente dos PCs da IBM e Macintosh da época.

 

Design

Se design foi inovador, já que ninguém havia desenvolvido um computador pessoal daquela forma. Sua concepção de hardware interno estava baseado na ideia de que cada tarefa estivesse descentralizada com um chip específico para cada uma delas, gerenciados por um processador central, o Motorola 68000, muito popular na época.

O dispositivo era gerenciado pelo sistema operacional Amiga OS, muito avançado, que combinava uma interface gráfica de usuário com a flexibilidade do Unix, permitindo um multitarefa real utilizando o sistema de multitarefa apropiativa. Eram técnicas que já existiam, mas que ninguém havia utilizado na prática em um computador pessoal.

O Amiga 1000 era capaz de mostrar na tela 4096 cores. Na época, o Apple Macintosh só foi capaz de suportar cores dois anos depois, e a multitarefa apropiativa não foi oferecida no Mac OS X até o ano 2000, cinco anos depois.

Sua recepção foi excelente. Talvez o mais notável é que o Amiga OS era o sistema operacional escolhido para o Video Toaster, a primeira suite de edição de vídeo doméstico.

Em 1987, eles lançaram o modelo ‘econômico’, o A500, que por ser mais barato ajudou a estabelecer o Amiga no uso doméstico, como um sistema de jogos de primeira categoria.

 

Declive

Depois de várias versões de modelos melhorados ao longo das décadas de 1980 e 1990, as vendas despencaram e graves problemas econômicos atingiram a Commodore. Com isso, os desenvolvedores de jogos e aplicativos começaram a se distanciar.

A Commodores declarou falência, e as marcas Amiga e Amiga OS passaram de mão em mão, em tentativas fracassadas de reviver uma plataforma que não pode seguir o ritmo de uma indústria que ia para outro lado: os PCs da IBM.

O Computer History Museum (CHM) de Mountain View vai comemorar nesse final de semana os 30 anos do Amiga, com exibições de hardware de primeira mão e várias conferências.