microsoft satya nadella

Durante uma apresentação na Comissão de Valores dos Estados Unidos, a Microsoft anunciou uma nova leva de demissões, buscando assim ser uma empresa mais eficiente, eliminando postos e divisões não rentáveis. Por isso, 2.850 funcionários da divisão móvel da empresa serão demitidos.

Essas demissões se somam às 18 mil anunciadas em 2014, aos 7.800 demitidos da divisão móvel em 2015 e os 1.850 dispensados em maio de 2016, correspondentes aos postos na Finlândia de funcionários da antiga Nokia.

Em outras palavras: a Microsoft está abandonando o negócio da telefonia móvel.

 

A prioridade passa a ser os serviços na nuvem

O hardware é um tema complexo para a Microsoft. Requer muito investimento, com lucros que demoram a chegar. Sem falar que são lucros mínimos quando comparados com serviços como o Office 365 e Azure, com melhor controle operacional e lucros maiores e em menor tempo. Sem falar que este não é um mercado saturado, como é o dos smartphones.

Logo, o resultado é uma Microsoft que segue eliminando aos poucos o pessoal que trabalhou para a Nokia, além dos profissionais que fizeram parte da divisão móvel de Redmond, enquanto que outros são deslocados para outras divisões. O mais estranho de tudo isso é a ausência de um anúncio oficial do fim da divisão móvel.

A nova leva de demissões acontecerão ao longo dos próximos 12 meses ou menos. 900 dos funcionários demitido são do departamento de vendas globais, e já foram informados das mudanças,

A Microsoft espera concluir sua reestruturação até o final do ano fiscal de 2017, em 30 de junho do ano que vem.

Via The Wall Street Journal