SEGA-Saturn

Essa semana, o Sega Saturn completa 20 anos de sua apresentação oficial. Na E3 de 1995, a Sega apresentou um sistema de entretenimento doméstico muito promissor, mas que na verdade causou mais estragos do que benefícios para os japoneses.

O Sega Saturn marcou o declínio da empresa, deixando a mesma em uma posição muito complicada. Mesmo assim, isso não impediu o lançamento do Dreamcast anos depois, console que também fracassou no mercado, apesar de contar com um excelente catálogo de jogos.

A Sega estava decidida a dar o primeiro golpe na batalha dos consoles de nova geração, e queria que o Saturn chegasse ao mercado antes do PlayStation. Mas o problema é que a empresa não planejou bem a sua estratégia, e não estava preparada para isso, nem no seu marketing, nem no seu catálogo de jogos. Tudo foi feito às pressas, e mal feito.

Inicialmente, a Sega tinha como objetivo competir com o Jaguar da Atari, o que foi um desastre em todos os sentidos. Superar o Jaguar não era algo complicado. O que deixou tudo pior foi a chegada efetiva do PlayStation ao mercado.

O Saturn estava mais focado ao 2D do que ao 3D, enquanto que o PlayStation era exatamente o contrário, com uma estrutura mais simples na programação de jogos. Para melhorar a potência do seu console, a Sega adicionou de última hora um processador SH2 e um VDP extra, que melhora as suas capacidades 2D e de texturização, transformando o console em uma autêntica máquina ‘multinúcleo’, já que estava equipada com duas CPUs Hitachi SH2 a 28.6 MHz e uma SH1 a 20 MHz.

Tal estrutura fez com que o Saturn se tornasse um monstro desnecessário, já que os desenvolvedores lançavam versões de jogos que não aproveitavam todos os seus processadores. Soma-se à isso o seu preço de US$ 399 (contra US$ 299 do PlayStation), e um lançamento apressado, com jogos mal acabados, que jamais mostraram o real potencial do Saturn, e temos dois motivos muito fortes para o seu fracasso.

Sem falar que foram muitos os consoles de 32 bits que já estavam no mercado: o hypeado 3DO, que também foi um fiasco, era um deles (oferecendo uma das piores versões de DOOM da história). O já citado Jaguar foi outro desastre memorável.

Na verdade, o Saturn não era um console ‘ruim’. Foi a Sega que não soube dar os passos certos para mantê-lo no mercado de forma adequada, garantindo assim a sua co-existência frente ao PlayStation. O potencial do console da Sega em jogos poligonais era muito bom, sem falar que o resultado dos jogos 2D eram muito melhores que no console da Sony.

Porém, veio o 3D do PlayStation, e…

De qualquer forma, os pontos positivos do Saturn fizeram com que o console se mantivesse vivo em mercado exigentes, como o japonês. Depois disso, o Nintendo 64 foi lançado (1996 no Japão, 1997 na Europa), e praticamente selou o destino do console.

O Sega Saturn foi fabricado até o ano 2000.