Jason Boune

A chegada de um novo filme da série Jason Bourne, baseada nos personagens de Robert Ludlum, atualiza a própria imagem do espião. É certo dizer que a maioria de nós, em algum momento, fantasiamos ser um desses agentes secretos que viajam o planeta cumprindo missões, personificando na maioria das vezes um herói invencível e irresistível.

Este espião ideal conta com uma mira espetacular e grande habilidade para luta corpo a corpo, assim como outros talentos. Porém, parte importante de seu atrativo está nos gadgets. Maravilhosos inventos tecnológicos que ajudam ao herói de diversas formas a escapar de perigos e cumprir suas missões com sucesso.

A seguir, revisamos os gadgets de espionagem mais míticos que o cinema apresentou:

 

Relógio multiuso (adaptado ao mundo da espionagem)

Com 24 filmes, a saga James Bond é a principal fonte de gadgets da sétima arte. Um item imprescindível para o agente secreto é o relógio visto em Live and Let Die (1973). Além de exibir as horas, o acessório contava com um poente imã que pode ser utilizado de várias formas, além de uma opção de serra que pode ser vital em determinadas situações. E tudo isso, escondido em um relógio. De fato, James Bond teve vários relógios ao longo dos anos, mas este é, sem dúvida, o modelo mais memorável.

 

 

A pistola de ouro desmontável

Provavelmente é a arma mais legal da franquia 007. Utilizada por Christopher Lee em The Man With The Golden Gun (1974), ela era montada a partir de três peças acima de qualquer suspeita.

 

 

A câmera fotográfica que lançava raios laser

O inimigo jamais iria entender o que o atingiu com essa arma letal em forma câmera fotográfica, idealizada por Q em License to Kill (1989). Uma arma discreta, que todo agente secreto precisa ter para passar desapercebido.

 

 

Óculos de raios X

Gadget considerado essencial para qualquer espião. Visto em The World is Not Enough (1999), atua como detector de armas e potencializador de sex appeal do mulherengo agente secreto.

 

 

Lentes de contato com câmera e escâner

Uma ferramenta que pode fazer a diferença no mundo da espionagem. Foi vista em filmes como I Spy (2002) e Mission: Impossible – Ghost Protocol (2011).

 

As histórias de ficção sempre inspiraram autênticas invenções que, à primeira vista, pareciam ser produtos exclusivos da mente de roteiristas. Porém, vários desses itens estão disponíveis no mundo real. A lente de contato com câmera é apenas uma delas.

 

O chiclete explosivo

Mission: Impossible (1996) apresentou um invento muito eficiente: o chiclete bomba. Mas não para fazer bolas gigantes com o sopro, mas sim unindo dois materiais explosivos de forma prática e eficiente. Uma das cenas mais legais do filme de Brian de Palma.

 

 

Luvas adesivas

Não são poucas as vezes que os espiões precisam escalar prédios ou superfícies onde soluções tradicionais não ajudam. Nessas horas, esse par de maravilhosas luvas ajudam. Ethan Hunt deu uma de Spider-Man em uma excelente cena de Protocolo Fantasma. Não recomendada para os leitores que sofrem de vertigem.

 

 

A maleta explosiva

Muitos gadgets podem ser levados no bolso, mas talvez o espião precisa de uma maleta para guardar todos eles. Logo, o acessório também pode virar uma arma, tal e como o MI6 mostrou para 007 ao enviar uma nova missão ao agente no filme From Russia with Love (1963). De quebra, o invento tem um peculiar sistema de segurança para evitar que caia em mãos equivocadas.

 

 

O canivete suíço com arco e flecha

Como paródia de 007, Get Smart – Agente 86 (2008) recebeu o seu próprio arsenal de gadgets. Um dos mais curiosos era o canivete suíço que se transformava em um pequeno arco e flecha.

 

 

O sapatofone

Esse produto saiu da ficção e foi para a realidade, apesar de sua utilidade ser algo questionável. Na série original de Get Smart (1965-1970) este era um invento do mundo da ficção, mas a sua adoção na versão cinematográfica foi apenas a desculpa para uma piada de referência. Imagino que o conceito ainda pode funcionar em circunstâncias adequadas.

 

 

O sapato-punhal

Cuidado com os calçados dos espiões. Nunca se sabe o que eles podem esconder. Mais uma vez em O Espião Que Me Amava, 007 é apresentado a um sapato que oculta um punhal envenenado na ponta, tornando o acessório uma arma letal.

 

 

O rádio portátil com lança-misseis

Hoje lembramos com nostalgia a moda dos rádios portáteis, e se você é um espião infiltrado em um bairro perigoso, pode usar o ‘gueto blaster’ criado por Q em The Living Daylights (1987). A divertida reação dos cientistas que preparavam o manequim é a melhor parte.

 

 

O “jetpack”

Um dos momentos mais míticos da saga 007 aconteceu na sequência inicial de Thunderball (1965), quando Sean Connery escapa utilizando um jetpack. O mais curioso é tentar descobrir de onde o dispositivo saiu. Só pior quando ouvimos Bond dizer “Nenhum homem bem vestido deve ficar sem um”. Enfim, esperamos até hoje que o invento seja reduzido para um formato mais portátil e barato.

 

 

O guarda-chuvas de combate

Levar um guarda-chuva para todos os lugares é algo difícil de justificar, mas o invento apresentado em Kingsman: The Secret Service (2105) vale a pena entrar na lista dos gadgets espiões, por ser uma arma com diferentes projéteis e um escudo.

 

 

A lista de gadgets memoráveis do cinema é muito maior que essa, que só tem 14 itens. Se você se lembra de algum que mereça estar na lista, deixe a sua sugestão na área de comentários.